Decreto de Perdão

Talvez a parte mais difícil do Processo de Ascensão seja entender o significado do Perdão. Todos nós gostaríamos de apontar os dedos, gritar em voz alta sobre nossas dores e sofrimentos, exigir justiça, solicitar que os “maus” sejam eliminados e removidos agora, e assim por diante.

Sem perceber, estamos ainda presos nas vibrações mais baixas da experiência da dualidade. Mesmo quando esquecemos disso, nós escolhemos estar aqui. Cada ser encarnado, antes de chegar à fisicalidade, decidiu que experiência (ou experiências) gostaria de ter na vida. Se um ser gostaria de experimentar perdão, outro ser precisaria vir às nossas vidas e “desempenhar o papel” daquele que fará algo “ruim” para nós, para que experimentássemos a dor e aprendêssemos a perdoar. A parábola “A Pequena Alma e o Sol” explica essa situação de maneira brilhante.

Aprender a perdoar nos ajudará a vibrar no Amor Incondicional. Para ajudá-lo a entender o significado do perdão, coletamos algumas citações sobre o significado do perdão:

Como sabemos, perdoar a si mesmo é o perdão mais difícil de todos.

Joan Baez

Devemos desenvolver e manter a capacidade de perdoar. Aquele que é desprovido do poder de perdoar é desprovido do poder de amar. Há algo de bom no pior de nós e algum mal no melhor de nós. Quando descobrimos isso, somos menos propensos a odiar nossos inimigos.

Martin Luther King, Jr.

A escuridão não pode expulsar a escuridão; somente a luz pode fazer isso. O ódio não pode expulsar o ódio; somente o amor pode fazer isso.

Martin Luther King, Jr.


O poder de decidir perdoar – e por que é difícil

O ato de perdão pode ser apenas o antídoto mais poderoso para a dor causada por outros.

Perdoar não significa que você simplesmente “perdoa e esquece”. O perdão também não significa que você absolve a pessoa de suas ações.

O perdão, ao contrário, é deixar ir a raiva e optar por liberar compassivamente o desejo de punir alguém ou a si mesmo por um crime.

Sim, o perdão é uma escolha. Sim, você pode perdoar a si mesmo. Mas eis o seguinte: embora possamos aceitar essas declarações na superfície, muitas vezes temos problemas em seguir o ato de perdão – seja perdoando a nós mesmos ou a outra pessoa.

Por que temos esse problema? Por causa de nossas emoções. Porque racionalizamos as coisas. Afinal, nós não somos responsáveis pelas ações dos outros.

Talvez não, mas você é responsável também. Você é responsável por suas próprias ações. Além disso, você é o único responsável por suas emoções e pensamentos.

Você é responsável por mitigar os danos infligidos. Por fim, você é responsável pelo perdão.

Mas, ainda mais importante, você é responsável por sua felicidade e paz de espírito.

“MAS COMO EU POSSO PERDOAR?”

Segundo o Dr. Robert Enright, pioneiro no estudo científico sobre o perdão, podemos implementar um modelo de quatro fases para nos ajudar a aprender a perdoar a nós mesmos e aos outros.

1. Saiba que perdoar é possível

Antes de aprendermos a perdoar, precisamos primeiro acreditar que o perdão é possível. Devemos, no mínimo, aceitar a noção de que o perdão é uma solução viável para o problema.

2. Faça a escolha para perdoar

“As pessoas não devem ser forçadas a perdoar”, diz Enright, “acho importante que as pessoas se sintam atraídas para isso”.

Como mencionado, aprender a perdoar não implica desculpar alguém ou esquecer seus comportamentos passados. Compreender isso – e a influência positiva do perdão em suas próprias emoções – nos permite olhar o perdão sob a luz certa.

3. Faça uma lista

Este passo funciona ao fazer uma lista de todos aqueles – desde a infância – que o prejudicaram de alguma forma. Depois que a lista for criada, priorize ordenando os nomes que começam com quem mais o machucou.

Comece perdoando as pessoas no final da lista e, em seguida, os que estão acima.

Tome o tempo necessário para processar suas emoção em relação à pessoa a que você está perdoando; você saberá quando é a hora de passar para a próxima etapa.

4. Exponha a sua raiva

“Esta etapa é uma espécie de lista de verificação”, diz Enright. “Como você está indo em termos de raiva? Como você tem negado isso? Você está com mais raiva do que pensava? Quais são as consequências físicas de sua raiva?”

Enright conclui: “Quando você olha para esses efeitos (da sua raiva), a pergunta se torna: você quer curar a si mesmo?”

5. Assuma um compromisso

Após a etapa 4, você está pronto para se comprometer com o ato de perdoar. “Quando as pessoas concluem a primeira fase e veem como os efeitos da raiva as deixam infelizes, há uma tendência a tentar fazer isso”, diz Enright.

6. Considere a outra pessoa

Agora que você sabe como perdoar, é neste passo que começa o “trabalho” de perdoar. Envolve pensar sobre a pessoa de uma nova maneira. Eles foram machucados de alguma forma? Nesse caso, a dor deles possivelmente contribuiu para a sua própria dor?

7. Reconheça a humanidade da outra pessoa

“Vocês dois nasceram, vocês dois morrerão, vocês sangram quando são cortados, vocês têm ADN único e quando você morre, nunca haverá outra pessoa como você. E dada a humanidade que você compartilha com essa pessoa, é possível que ela seja tão especial, única e insubstituível quanto você?” pergunta Enright.

8. Amoleça o seu coração

Consciente ou inconscientemente, as ações da outra pessoa acabaram endurecendo um pouco seu coração. Eventualmente, se você pratica o tipo de perdão prescrito pelo Dr. Enright, você deve começar a sentir a liberação saudável e a se livrar da raiva.

“É um pouquinho de compaixão”, afirma Enright.

9. Assuma a dor

É normal sentir emoções fortes neste momento. Enright diz que há uma dose de dor envolvida; mas que essa dor finalmente nos permite seguir em frente.

“A dor constrói auto-estima porque você está dizendo: ‘Se eu posso ver a humanidade naquele que não viu a humanidade em mim, e se eu posso amolecer meu coração àquele que não me viu, então quem sou eu como pessoa? Sou mais forte do que pensava.”

10. Reflita e descubra

“Normalmente, as pessoas estão mais conscientes das feridas no mundo”, diz Enright. “Eles se tornam mais pacientes com pessoas que podem estar tendo um dia ruim; eles veem que as pessoas andam feridas o tempo todo e geralmente estão mais conscientes da dor dos outros e querem ser um canal para o bem.

Certamente há um período de reflexão envolvido quando a dor passa. Você percebe que: (a) você é mais forte e (b) é mais feliz.

11. Repita o processo

Lembra como você começou com uma lista? Bem, depois de um certo período, é hora de voltar a repetir esse processo.

Decreto de Perdão

Você pode usar este Decreto de Perdão, publicado por Judith Kusel, quando desejar pedir perdão, perdoar a si mesmo e perdoar os outros. Este decreto pode ser repetido quantas vezes você sentir necessidade. Você pode repeti-lo diariamente ou quando se sentir guiado a fazê-lo. Se as pessoas que o machucaram ou o magoaram de alguma forma lhe vierem à mente, então faça o que for necessário para perdoar, liberar, limpar e se livrar das cargas emocionais negativas.


Eu perdoo a todos aqueles que já me machucaram ou me prejudicaram,
Consciente ou inconscientemente,
Nesta vida ou em qualquer outra.
Em todo plano, nível ou dimensão conhecida ou desconhecida.
Eu ofereço a eles Graça.

Eu peço perdão para todos aqueles a quem eu já machuquei ou prejudiquei,
Consciente ou inconscientemente,
Nesta vida ou em qualquer outra.
Em todo plano, nível ou dimensão conhecida ou desconhecida.
Eu peço Graça.

Perdoo-me por tudo que eu já fiz
para machucar ou causar dano a mim e ao outro,
consciente ou inconscientemente.
Nesta vida ou em qualquer outra.
Neste universo ou em qualquer outro.
Em todo plano, nível ou dimensão conhecida ou desconhecida.
Eu aceito Graça.

Eu sou livre.

Todas as correntes e restrições são removidas de mim.

Eu permaneço no meu poder como um mestre.

Que assim SEJA e assim É.


Referências:

~ Psychologists Explain How To Forgive And Truly Let Go Of The Past:
https://www.powerofpositivity.com/psychologists-explain-truly-forgive-someone-let-go/

~ Judith Kusel:
https://www.facebook.com/judith.kusel/posts/3109352379096020

Rosa de Vénus

Rosa de Vénus é uma Esfera de Luz composta por Seres-Consciência-Arcangélica da Raça Central do Universo, que está ao serviço da evolução de acordo com os Planos Maiores da Criação. Um dos seus projectos, foi a criação do DNA Humano Universal. Por essa mesma razão, Rosa de Vénus está presente na Terra para ajudar a Humanidade no seu processo de Ascensão.

Deixe uma resposta